Reforma gráfica no Jornal do Brasil

Os anos sessenta se caracterizam por grandes reformas gráficas ocorridas nos jornais. “O Jornal do Brasil” foi o grande responsável por iniciar uma verdadeira revolução gráfica no fim da década de 1950. O responsável foi o artista plástico Amilcar de Castro, que com muita visão, soube usar o espaço em branco do jornal, e artisticamente conseguiu que apenas   tornou a leitura do jornal muito mais prazerosa.

Essa é a edição do ‘Jornal Do Brasil’ de 3/01/1957, antes da reforma.

– Era difícil distinguir onde terminava um parágrafo e onde começava o outro. A página chegava a ter nove colunas, simétricas e divididas por um fio. A fonte usada era a mesma para todas as matérias e seu tamanho era pequeno, o que tornava a leitura cansativa.

– O jornal trazia basicamente classificados. Poucas eram as noticias veiculadas, e ainda assim eram vindas de agencias de noticias.

– Não havia uma manchete.

Após a reforma gráfica, a edição de 1 de janeiro de 1960 foi comercializada com a seguinte capa:

Referências Bibliográficas:
BAHIA, Juarez, Jornal, História E Técnica História a Imprensa Brasileira, Editora Ática, 1990.
FREIRE, Eduardo Nunes, design no jornal impresso diário. Do tipográfico ao digital,  Revista Galáxia Nº18 p. 291-31, 2009.
SILVA, Rafael Souza, Diagramação O Planejamento Visual Gráfico Na Comunicação Impressa, Summus Editorial, 1985.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s