Entrevista com Mariana Castro – Editora Executiva IG

Redação do Portal IG - Foto tirada por Heverton Bruno

Editora executiva do portal IG, responsável  pela editoria Brasil, Mariana Castro, conta como é feito o conteúdo para a web, dos impactos das redes sociais e das ferramentas disponíveis no mundo digital.

A diferença na produção de conteúdo para a web é questionada pela facilidade que a internet possui no que se diz ao encontro de informações. Nesta entrevista, Mariana quebra alguns mitos na visão de produção do web jornalismo. “Para a produção do bom jornalismo os critérios são basicamente os mesmos em todos os veículos”, diz Mariana.

 A interatividade é a principal característica que difere a produção digital das outras mídias, conta Mariana. “Na internet reúne-se todas as formas de veicular a informação, áudio, texto, vídeo, foto e infográfico. Tudo isso no mesmo ambiente”.

Segundo Mariana, o processo de apuração, busca de boas histórias e fontes não é esquecido na produção digital. “A equipe é composta por editores, repórteres de rua, e trabalhamos com agência de notícias”, conta ela. E ao contrário do que muitos pensam, toda notícia é analisada, revisada e editada antes de ir para a web.

No formato antigo da página “Último Segundo” onde as notícias são atualizadas instantaneamente, o trabalho das agências tinha uma presença fundamental. Hoje a proposta é produção do próprio conteúdo investindo na mão de obra interna. Ela conta que há um ano e meio o site contratou cerca de 80 jornalistas e 20 web designers para investir nesse projeto de produção que ela mesmo define como “o bom jornalismo de qualidade, de contéudo”.

REDES SOCIAIS

Ao ser questionada sobre o papel das redes sociais nos portais da internet, a editora executiva acredita que as redes amplificam o alcance das coberturas, e cita o recurso “recomendar” do Facebook, em que os amigos de quem recomendou a notícia tem a possibilidade de acessá-la, como uma forma de dar visibilidade a notícia.

De acordo com Mariana, a rede social é também uma boa forma de encontrar fontes. “No caso do Terremoto do Japão conseguimos várias fontes através do Facebook e Twitter”.

RECURSOS

O mapeamento de audiência exerce a função de um termômetro para o material publicado, em que o Web Jornalista consegue saber a quantidade de acessos de determinada notícia.

 Mariana afirma que o recurso de comentários nas notícias é aproveitado pelo profissional da web para captar novas fontes e produzir reportagens. “Já fizemos matérias a partir de comentários dos leitores. A gente vai atrás da fonte que comentou, checa”, diz a editora executiva.

Ela conclui que na internet os leitores são mais “críticos” e com a maior quantidade de informação a web torna-se um ambiente de discussão.  Quanto à produção, Mariana declara que “a única certeza é que você terá um imprevisto”.

Faça o download da entrevista na íntegra

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s